Directo ao conteúdo
Ministério dos Negócios Estrangeiros da Finlândia

Embaixada da Finlândia, Lisboa: Info Finlândia: Política Externa

EMBAIXADA DA FINLÂNDIA, Lisboa

Rua do Possolo 76-1°
1350-251 Lisboa, Portugal
Tel +351 21 393 30 40, Fax:+351 21 390 47 58
E-mail sanomat.lis@formin.fi
Português | Suomi | Svenska | facebook
Tamanho de letra_normalTamanho de letra_maior
 

Política Externa

Os edifícios neoclássicos do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Fotografia: Scan-FotoOs edifícios neoclássicos do Ministério dos Negócios Estrangeiros, foram desenhados pelo arquitecto C.L Engel, Katajanokka, Helsínquia. Fotografia: Scan-Foto

Sendo um dos países escandinavos (nórdicos) e membro da União Europeia, a Finlândia venera os valores de liberdade, de democracia e dos direitos humanos. A Finlândia não integra qualquer aliança militar e mantém uma capacidade independente de defesa nacional, mas é signatária do Acordo Parceria para a Paz com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), goza do estatuto de observador na União da Europa Ocidental (o embrião militar da União Europeia) e no Conselho de Cooperação do Atlântico Norte.

A cooperação no âmbito do Conselho dos Países Nórdicos cobre uma vasta área de assuntos sociais, culturais e técnicos com interesse para os seus cinco membros: Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia.

LiputApós um longo período de envolvimento no processo da Integração Europeia, a Finlândia entregou em 1992 o seu pedido de adesão à Comunidade Económica Europeia e, em 1995, tornou-se membro de pleno direito da União Europeia.

Desde a sua adesão à Organização das Nações Unidas, em 1955, que a Finlândia tem participado em muitas operações de manutenção da paz no âmbito daquela organização. A Finlândia considera que o Conselho de Segurança das Nações Unidas ou a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), deveriam continuar a sua missão de mandatários políticos no que diz respeito, às operações de manutenção da paz internacional e de contenção de conflitos, para as quais, a Finlândia poderia dar o seu contributo.

Devido aos cortes orçamentais nas despesas públicas do país a partir de 1990, a Finlândia viu-se obrigada a reduzir a sua contribuição para a cooperação e desenvolvimento de 0,7% do PNB, para 0,3%.

Contudo, a Finlândia assumiu, política e publicamente, o compromisso de atingir o nível anterior de contribuições na primeira década deste século.

Mais informação

Defesa:

Imprima esta página

actualizados 21-05-2009


© Embaixada da Finlândia, Lisboa | Informações sobre o serviço on-line | Contacto