Directo ao conteúdo
Ministério dos Negócios Estrangeiros da Finlândia

Embaixada da Finlândia, Lisboa: Info Finlândia: Desporto

EMBAIXADA DA FINLÂNDIA, Lisboa

Rua do Possolo 76-1°
1350-251 Lisboa, Portugal
Tel +351 21 393 30 40, Fax:+351 21 390 47 58
E-mail sanomat.lis@formin.fi
Português | Suomi | Svenska | facebook
Tamanho de letra_normalTamanho de letra_maior
 

Finlândia - uma sociedade em boa saúde com desporto de alto nivél

Escrito para Virtual Finland (actual thisisFINLAND)por Leena Nieminen, Editora Sénior da The Finnish Society for Research in Sport and Physical Education (Sociedade Finlandesa para a Investigação em Desporto e Educação Física) leena.nieminen@lts.fi. Tradução Sofia Vaz Serra, Simultâneo

Competição de esqui-Finlândia. Mega evento organizado desde 1973 (Distâncias 30km / 60km), que conta anualmente com milhares de participantes. Fotografia: ESS - Pertti LouhelainenCompetição de esqui-Finlândia. Mega evento organizado desde 1973 (Distâncias 30km / 60km), que conta anualmente com milhares de participantes. Fotografia: ESS - Pertti Louhelainen

Os finlandeses nunca foram indiferentes à forma como os desportistas do país se comportam internacionalmente, de facto, pelo contrário. O decepcionante espólio de medalhas obtido nos Jogos Olímpicos de Atenas causou um debate ansioso, e a organização do desporto de alto rendimento (ou de alto nível) e, em particular, os métodos de treino, estão agora a ser reformados. O 10º Campeonato Mundial de Atletismo da IAAF de 2005 em Helsínquia, foi o maior evento desportivo alguma vez organizado na Finlândia. Hoje em dia, no entanto, as histórias de sucesso têm mais probabilidade de ser encontradas no exercício físico que promove a saúde diária. Esta actividade está a ocorrer nos percursos de jogging, pistas de esqui, itinerários de bicicleta, caminhos, piscinas e grandes edifícios desportivos. A marcha nórdica e natação no gelo, que para os visitantes estrangeiros podem parecer bastante invulgares, são a última moda de exercício saudável na Finlândia.

O desporto e educação física são partes naturais da vida diária na Finlândia,

sendo a marcha, ciclismo, esqui e natação particularmente populares. De acordo com um relatório nacional sobre desportos, cerca de 94% dos finlandeses com idades entre os 19 e os 65 dizem praticar algum tipo de exercício físico. Aproximadamente dois terços dos respondentes praticam exercício duma forma suficientemente boa para a sua saúde, por outras palavras, pelo menos 2 ou 3 vezes por semana e com vigor suficiente para ter como resultado uma ligeira falta de fôlego.

Fotografia: Tero PajukallioO desporto e exercício físico são partes normais da vida diária na Finlândia.Helsinki cup - Torneio de futebol para crianças e júniores, que começou em 1976 com a participação de cinco países. Em 2002 contou com a participação recorde de 819 equipas de 16 países. Fotografia: Tero Pajukallio.

Futebol (principalmente regras de associação), ciclismo, natação, esqui e floorball são tipos populares de desporto entre as crianças e jovens. De acordo com o relatório atrás mencionado, cerca de 40% das crianças e jovens tomam parte em actividades desportivas em organizações desportivas e outros 58% declararam que praticam desportos com amigos de forma independente.

O ritmo acelerado da vida prejudica as actividades desportivas, especialmente entre a população em idade de trabalho. As pessoas no seu "apogeu", com idades entre os 26 e os 45, que estão a construir carreiras e famílias, fazem menos exercício que os outros grupos etários.

Nem todos andam pelos percursos de jogging

Os hábitos de exercício das pessoas comuns na Finlândia e outros países europeus parecem estar a desenvolver-se numa direcção surpreendentemente similar. A redução no exercício diário e as mudanças na cultura juvenil explicam as pronunciadas diferenças actuais na boa condição física dos jovens em particular. O que está a acontecer é que na Finlândia, tal como noutros países europeus, há um grupo crescente de jovens que são suficientemente activos dum ponto de vista da saúde, mas há um grupo da mesma idade que não faz qualquer exercício físico.

Então, a actividade física no geral entre jovens não parece ter diminuído na Europa ou na Finlândia durante as últimas décadas; antes pelo contrário. Hoje em dia, há um entusiasmo crescente por uma variedade de desportos em expansão, assim como pelo equipamento necessário para os praticar. Um grande grupo de pessoas está interessado em passatempos como marcha nórdica, pedómetros, snowboarding, patinagem de longa distância, trekking de aventura, ciclismo fora da estrada, equipamento de clube desportivo, novos tipos de aeróbica, artes marciais e jogos de equipas.

O ritmo activo da vida é prejudicial especialmente entre as populações em idade de trabalho. As pessoas com 26 a 45 anos, a formar famílias e carreiras, praticam menos exercício que os outros gruposetários. Fotografia: Martti LintunenO ritmo activo da vida é prejudicial especialmente entre as populações em idade de trabalho. As pessoas com 26 a 45 anos, a formar famílias e carreiras, praticam menos exercício que os outros gruposetários. Fotografia: Martti Lintunen

Em contraste, a ideia de fazer o mínimo exercício possível fortificou-se em cerca de um quinto da população; de facto, fazem tão pouco exercício que põem em perigo a sua saúde. 20% dos jovens na Finlândia e outros países europeus fazem exercício menos que uma vez por semana. De acordo com as recomendações do exercício saudável, os adultos devem fazer exercício vigoroso três vezes por semana, enquanto as crianças e jovens em fase de desenvolvimento o devem fazer diariamente.

Tipos tradicionais de desporto que melhoram a resistência, tais como esqui corta-mato na Finlândia e os jogos tradicionais de equipas na Europa continental, perderam alguma da sua atracção. Os desportos que aumentam o controlo da parte central do corpo tornaram-se populares, como o skateboarding, snowboarding e numerosas inovações de ginástica.

A saúde e o bem-estar são os principais motivos referidos pelos adultos que praticam exercício físico na Finlândia. São, de facto, factores importantes ao promover o exercício pela saúde, uma vez que a falta de exercício é um factor de risco significativo para a saúde pública. A população da Finlândia está a envelhecer rapidamente. Em 2020 será uma das populações mais velhas da união europeia. O exercício é uma das formas mais importantes e mais económicas para promover a saúde numa população em envelhecimento.

Natação de Inverno e marcha nórdica

As pessoas estão conscientes dos assuntos atrás mencionados e, ao bom estilo finlandês, o sector de gestão desportiva, assim como a segurança social e os sectores da saúde estão a participar na promoção da saúde através de medidas preventivas. As inovações e capacidades também se desenvolveram em organizações.

A marcha nórdica é uma boa actividade já mencionada. As suas raízes estão nas rotinas de treino de verão dos esquiadores e no powerwalking com bastões, que teve origem nos EUA. A marcha nórdica finlandesa é uma adaptação da técnica tradicional de esqui corta-mato, em que os bastões são usados para fixar um ritmo de marcha e alargar a passada do atleta. A Central Association for Recreational Sports and Outdoors Activities (Associação Central para os Desportos Recreativos e Actividades de Exterior) (conhecida na Finlândia como Suomen Latu) começou a incluir a marcha nórdica no seu programa de actividades em 1997. Apesar de ter sido inicialmente alvo de alguma troça, a marcha nórdica começou de forma promissora. Passados três anos da sua introdução, quase meio milhão de finlandeses faziam regularmente marcha nórdica e um milhão e meio de pessoas tinham experimentado.

Nadar é uma das formas de exercício mais populares na Finlândia, um país em que dar um mergulho num buraco do gelo tem feito parte da cultura nacional de sauna através dos tempos. Fotografia: Paul WilliamsNadar é uma das formas de exercício mais populares na Finlândia, um país em que dar um mergulho num buraco do gelo tem feito parte da cultura nacional de sauna através dos tempos. Fotografia: Paul Williams

A natação no gelo é uma forma de boa condição física que se começou a espalhar nos anos 80 e actualmente há cerca de 120.000 nadadores no gelo que praticam esta actividade em clubes. Provavelmente há um número similar de pessoas que fazem natação no gelo a partir das suas próprias cabinas de férias ou em centros aquáticos de lazer. A natação no gelo é particularmente popular entre as mulheres de meia-idade. 50% dos que procuram saúde e vitalidade através da imersão em água fria são mulheres. Outra característica comum na Finlândia é que, muito rapidamente, seja qual for o desporto, é organizada uma competição. Também é este o caso com a natação no gelo.

Uma característica comum da Finlândia é que muito rapidamente, seja qual for o desporto, é organizada uma competição. Este também é o caso da natação no gelo. Fotografia: Matti Tirri.Uma característica comum da Finlândia é que muito rapidamente, seja qual for o desporto, é organizada uma competição. Este também é o caso da natação no gelo. Fotografia: Matti Tirri.

Os primeiros campeonatos finlandeses de natação no gelo em 1989 apenas tiveram o interesse de cerca de uma centena de participantes. Pouco mais de uma década mais tarde, mais de 1.200 nadadores empilharam-se uns nos outros, numa piscina de 25 metros. O primeiro Campeonato Mundial de natação no gelo decorreu em Helsínquia em Fevereiro de 2000.

 

A água é um elemento que atrai muitos

Os desportos aquáticos estão a gerar mais interesse a todos os níveis. As piscinas interiores e os spas estão cheios, não apenas de nadadores, mas também de aquajoggers e seguidores de vários outros tipos de treino aquático. Entre eles estão famílias, nadadores bebés e entusiastas do relaxamento musical subaquático. Um bebé em cada dez sabe nadar, um número explicado pelo facto de que aproximadamente 10% dos 56.000 a 60.000 bebés nascidos anualmente

IPiscina subterrânea de Itäkeskus, Helsínquia. Desenhada por: Arquitectos Seppo Häkli, Jukka Karhunen e Kari Salonen em 1993. Fotografia: Jussi Tiainen.IPiscina subterrânea de Itäkeskus, Helsínquia. Desenhada por: Arquitectos Seppo Häkli, Jukka Karhunen e Kari Salonen em 1993. Fotografia: Jussi Tiainen.

na Finlândia vão para a natação de bebés com os seus pais.

O cinto usado em aquajogging levou as pessoas que passam férias em cabinas ao pé dos lagos a fazer jogging em lagos de água pouco profunda. A boa condição física melhora, o ar livre aumenta o prazer e a posição vertical não provoca tensão nas áreas do pescoço e costas, como a natação faria.

IA piscina de Itäkeskus foi escavada no interior de uma rocha. Fotografia: Jussi TiainenA piscina de Itäkeskus foi escavada no interior de uma rocha. Oásis Trópico, que consiste numa piscina de 50 metros, jacuzzis e piscinas de instrução para crianças. O preço do bilhete inclui ainda o direito de utilizar os escorregas de água, sete saunas, das quais uma é de banho turco, (de vapor) e ginásio. Fotografia: Jussi Tiainen

A água alivia a tensão e o stress e proporciona o único ambiente sem dor no qual muitas pessoas que sofrem de doenças a longo prazo se podem exercitar. A resistência da água melhora efectivamente a boa condição física, ajuda o emagrecimento através da perda de calor e energia cinética, reduz o inchaço e melhora o tónus muscular.

O exercício na água também é benéfico para crianças e adultos cujos membros precisam de apoio especial. Desde algum tempo, muitas cidades com as instalações necessárias têm tido lições de natação, assim como outras opções aquáticas para uma boa condição física, para deficientes, pessoas com doenças a longo prazo e para crianças e adultos que precisam de ajuda quando fazem exercício na água.

 

 

Exercício saudável: um motivador forte e uma meta que vale a pena

O princípio de fazer exercício com o objectivo de melhorar a saúde não é novo. O primeiro reconhecimento oficial disto surge em 1843, quando foram redigidas as regulamentações escolares que estabeleceram a educação física como disciplina obrigatória porque: "O corpo precisa de exercício para que a educação teórica não tome a primazia à custa do bem-estar físico".

Saúde e bem-estar são os principais motivos referidos pelos adultos que praticam exercício físico na Finlândia. Fotografia: Matti Tirri.Saúde e bem-estar são os principais motivos referidos pelos adultos que praticam exercício físico na Finlândia. Fotografia: Matti Tirri.

Dentro da administração do estado, o Ministério da Educação teve grandes responsabilidades na promoção do exercício até aos anos 80.

Em 1995, o Ministério dos Assuntos Sociais e Saúde assumiu um papel visível na promoção do exercício físico quando, em conjunto com o Ministério da Educação, lançou o programa Fit For Life. O exercício também foi tido em consideração noutras importantes estratégias e programas nacionais, até no programa político do Governo.

Fit For Life - encorajar as pessoas de meia idade

Fit For Life é um dos melhores exemplos de programa eficaz. O programa tem várias formas de apoiar os envolvidos a nível local a persuadir as pessoas a praticar exercício físico, especialmente pessoas que trabalham e pessoas de idade que fazem muito pouco exercício sob o ponto de vista da sua saúde. É concedida assistência financeira duas vezes por ano através duma competição de projecto. Actualmente há mais de 600 projectos que dizem respeito ao exercício físico para a saúde que receberam apoio do programa Fit For Life. Durante os primeiros cinco anos do programa, de 1995 a 1999, a quantidade de exercício praticado por pessoas com mais de 40 anos aumentou em 13%.

O programa Fit For Life apoia o estabelecimento de novas formas de cooperação e grupos de exercício físico para preencher lacunas que os clubes desportivos tradicionais não conseguiam preencher. Um objectivo particular tem sido manter um limiar suficientemente baixo para as pessoas começarem a praticar exercício físico. Os recém chegados recebem orientação e apoio profissional para que possam continuar o seu exercício físico de forma independente.

Passeio primaveril em Kerava. A planificação urbanística garante boas condições nas vias pedonais. Fotografia: Raija PöyhönenPasseio primaveril em Kerava. A planificação urbanística garante boas condições nas vias pedonais. Fotografia: Raija Pöyhönen

Fazer exercício pela saúde pode ser considerado, com alguma justificação, uma história de sucesso na Finlândia. Do ponto de vista da sociedade, o exercício e a saúde são dois factores importantes e de apoio mútuo para o exercício físico. O exercício tem sido promovido como uma forma de melhorar a saúde e que qualquer pessoa pode adaptar a si própria duma forma independente. Isto gerou novas formas de comportamento, novos serviços e, mais importante, o exercício físico deu satisfação a um número significativo de pessoas.

 

 

Trabalho voluntário, uma contribuição crucial

O exercício físico e o desporto são uma parte importante da vida na Finlândia. Mais de 800.000 finlandeses participam em actividades físicas em clubes desportivos. Mais de meio milhão de jovens e adultos trabalham voluntariamente nos clubes. O exercício físico em 2000 é mais variado que nunca.

A actividade das comunidades no exercício e desporto tem uma longa história na Finlândia. O primeiro clube desportivo foi fundado em 1856. A pedra angular da cultura desportiva em organizações sem fins lucrativos é o trabalho voluntário, cujo foco principal é a juventude. Há muitos tipos de clubes desportivos. Alguns concentram-se em desporto competitivo e de alto rendimento, outros oferecem actividades para crianças e jovens, ou exercício para melhorar a saúde e boa condição física dos adultos.

40% (430.000) das crianças e jovens são membros activos de clubes ou organizações desportivas. Um em cada 10 adultos (cerca de 400.000) toma parte em actividades físicas numa organização desportiva, enquanto as campanhas desportivas tem centenas de milhares de pessoas envolvidas.

A Federação Finlandesa de Desportos (Finnish Sports Federation - FSF) é uma organização de cobertura que serve os interesses das suas organizações membros. As 126 organizações que formam a FSF têm um conjunto combinado de membros de mais de 1.1 milhão.

As crianças exercitam-se em clubes "de tarde"

O exercício físico tem um papel significativo na criação do espírito comunitário. Só um terço das crianças finlandesas pratica exercício físico suficiente do ponto de vista da sua saúde, i.e.: um mínimo de uma hora por dia. A tarde é uma altura excelente para aumentar a quantidade de exercício físico diário. Com isso em mente, a Associação Finlandesa da Juventude, que promove a actividade física entre os jovens, iniciou o seu projecto de tardes de actividade desportiva em 1998. Pais, clubes desportivos e organizações foram os primeiros a começar a arranjar actividades. As actividades da tarde tornaram-se elegíveis para o apoio do estado a partir do início de 1999.

A actividade física que envolve jovens não parece ter diminuído durante as últimas décadas. Futebol, ciclismo, natação, esqui, snowboard, snowblade e floorball são tipos de desporto populares entre as crianças e jovens. Fotografia: Raija PöyhönenA actividade física que envolve jovens não parece ter diminuído durante as últimas décadas. Futebol, ciclismo, natação, esqui, snowboard, snowblade e floorball são tipos de desporto populares entre as crianças e jovens. Fotografia: Raija Pöyhönen

Ao longo do tempo desenvolveu-se um padrão para as actividades. Por exemplo, uma organização, clube ou paróquia organizava um infantário à tarde e as autoridades locais forneciam instalações onde os diferentes clubes podiam levar os seus próprios grupos.

No Outono de 2004, um decreto que regulamenta as actividades da tarde de crianças do primeiro e segundo ano entrou em vigor, mas a contribuição das várias organizações cívicas é uma característica que continua a receber louvor. Tudo o que foi dito anteriormente significa que as actividades da tarde das crianças ajudam a criar um espírito comunitário que, por sua vez, fortalece a rede regional de apoio em redor das crianças. Com a mesma tendência, as crianças recebem a oportunidade de experimentar diferentes tipos de actividade física e encontrar um passatempo que queiram continuar mais tarde..

O desporto de alto rendimento é reorganizado

O sucesso desportivo não é um assunto de satisfação na Finlândia. A maior parte dos finlandeses (78%) declaram considerar o sucesso internacional dos atletas finlandeses importante ou muito importante. Em particular, esperam-se sucessos no esqui, atletismo, saltos de esqui e hóquei no gelo.

O futuro do desporto de alto rendimento tem sido debatido nos últimos anos na Finlândia com uma maior profundidade do que apenas contar medalhas e citar estatísticas dos campeonatos mundiais. Um relatório acabado na primavera de 2004 analisou o financiamento, desenvolvimento e posicionamento do desporto de alto nível na cultura desportiva finlandesa.

O desporto de alto rendimento não tem passado muito bem ultimamente na Finlândia. O sucesso desportivo não foi ao encontro das expectativas e os enormes ganhos de alguns profissionais do desporto estiveram nos títulos dos jormais. O financiamento público para o desporto de alto nível foi posto em questão.

O patrocínio para o desporto tem estado em ligeiro declínio. O investimento em actividades físicas para os jovens e no exercício físico para a saúde tem sido percepcionado como mais recompensador para a sociedade duma maneira geral. Uma comparação entre os países nórdicos mostra que os ganhos dos patrocínios desportivos na Suécia são quase quatro vezes mais altos do que na Finlândia, e na Noruega e Dinamarca aproximadamente duas vezes mais altos. A Finlândia também está claramente atrasada em relação aos outros países nórdicos no financiamento do estado.

Entre os fãs do desporto, as impressões e opiniões sobre o desporto de alto nível são formadas principalmente a partir da publicidade que rodeia os atletas classificados entre os melhores do mundo e seus ganhos. Mas há apenas uma mão cheira dessas personalidades desportivas na Finlândia e um número igualmente pequeno de clubes desportivos que podem ser claramente considerados como empresas comerciais.

O relatório sobre desporto de alto rendimento estimou que há cerca de 2.000 atletas de alto nível na Finlândia, dos quais cerca de metade vivem principalmente do desporto. Há um pouco menos de 100 atletas deficientes de alto nível. A maior parte dos atletas profissionais são jogadores de hóquei no gelo ou jogadores de futebol. O estado não apoia financeiramente o desporto a nível das federações.

O Comité Olímpico Finlandês define o desporto de alto rendimento como uma actividade desportiva de nível internacional praticada por adultos e jovens dos 16 aos 18 anos, cujo objectivo é ter sucesso nos principais campeonatos internacionais, assim como actividades desportivas que envolvem atletas deficientes com objectivos correspondentes. Os fãs desportivos acreditam que deve ser feita uma distinção entre atletas profissionais internacionais e o grupo que recebe apoio financeiro e que o merece.

Na Finlândia, os atletas que participam em desportos de equipa ou individuais e são empregados principalmente pelos clubes ou equipas das federações, são classificados como atletas profissionais internacionais. O seu ordenado é pago directamente por um clube ou equipa, desde ganhos de competições a patrocínios corporativos. O piloto de corridas Kimi Raïkkönen, o jogador de hóquei no gelo Teemu Selänne, o tenista Jarkko Nieminen e o jogador de futebol Sami Hyypïa encaixam nesta descrição.

Outra categoria de desporto profissional de alto nível diz respeito a atletas que recebem apoio de organizações desportivas e do Comité Olímpico e que também recebem ganhos significativos de patrocínios e competições, atletas como o saltador de esqui Janne Ahonen e o esquiador alpino Kalle Palander.

Um terceiro grupo profissional ou semi-profissional de atletas inclui jogadores de desportos de equipa em séries nacionais. Os seus ganhos são feitos principalmente de salários pagos pelos clubes.

Na Finlândia há homens e mulheres de desporto conhecidos como "atletas tradicionais de topo" que contam mais largamente com outras forma de apoio do que salários reais. Eles recebem rendimentos de várias fontes – como apoio financeiro para treinar de organizações desportivas e do Comité Olímpico Finlandês, bolsas do Ministério da Educação, mais ganhos de competições e patrocínios. Exemplos deste tipo de atleta são o corredor de velocidade Markus Pöyhönen, a nadadora Hanna-Maria Seppälä e o maratonista Janne Holmén.

Os atletas de alto nível surgem frequentemente do fundo das comunidades nos seus clubes desportivos locais, e a manutenção dessa ligação vital é importante para o futuro das altas realizações no desporto. O desporto de alto nível e as comunidades estão mais claramente ligados no que diz respeito aos atletas jovens. Tipicamente estes jovens são membros de grupos de treino dos clubes desportivos ou estão nos programas de apoio do Comité Olímpico para jovens. As suas principais fontes de ajuda financeira são os pais, clubes e organizações desportivas.

Vale a pena apoiar o sucesso

O governo não vai desistir do desporto de alto nível. Ele vai continuar a receber apoio financeiro. A política está consagrada no Acto Desportivo e no Programa do Governo. A questão é em que termos a sociedade está preparada para apoiar o desporto de alto nível na procura de sucesso. O objectivo é criar oportunidades para o desporto de alto nível gerido e executado de forma profissional, assim como ser eticamente sustentável e não ser comercial.

Responsabilidades e actividades parcialmente coincidentes mostraram-se problemáticas, mas espera-se que o papel do Comité Olímpico Finlandês fortaleça. Outro problema é a falta de coordenação na formação de treinadores. A principal deficiência no sistema de treino na Finlândia é a falta de treinadores profissionais. São necessários mais, quer a nível básico em clubes, quer a alto nível. A prática de funcionamento centrada no atleta individual vai mudar para um modelo centrado nos treinadores, onde os treinadores profissionais qualificados irão treinar vários atletas de alto nível e jovens talentos. As mesmas propostas de desenvolvimento aplicam-se ao desporto de alto nível para atletas deficientes. Para além disso, a integração das organizações desportivas está a ser acelerada.

Mais informação:

As opiniões expressas nos artigos são da total responsabilidade dos seus autores.

Publicado em 2005.

Imprima esta página

actualizados 19-08-2009


© Embaixada da Finlândia, Lisboa | Informações sobre o serviço on-line | Contacto