Directo ao conteúdo
Ministério dos Negócios Estrangeiros da Finlândia

O São João finlandês e Dia da bandeira nacional da Finlândia - Embaixada da Finlândia, Lisboa : Info Finlândia : Festas tradicionais

EMBAIXADA DA FINLÂNDIA, Lisboa

Rua do Possolo 76-1°
1350-251 Lisboa, Portugal
Tel +351 21 393 30 40, Fax:+351 21 390 47 58
E-mail sanomat.lis@formin.fi
Português | Suomi | Svenska | facebook
Tamanho de letra_normalTamanho de letra_maior
 

O São João finlandês e Dia da bandeira nacional da Finlândia

A festa de São João é o ponto alto do curto Verão finlandês. Os finlandeses rumam para as suas casas de campo, junto da natureza, para desfrutarem do sol da meia-noite e darem então cumprimento aos rituais tradicionais de São João. No São João festeja-se também a dia nacional da bandeira finlandesa. 

Fogeira de São JoãoOs sueco-falantes chamam "midsommar", à festa de São João, numa referência aos meados do Verão. O São João ou "juhannus", em finlandês, refere-se ao calendário cristão, à festa de São João Baptista. Esta festa significa algo de espiritual para os finlandeses, apesar da relatividade do valor religioso presente. O sol da meia-noite é festejado à beira dos milhares de lagos do país, numa casa de campo, no meio da natureza. Pode-se afirmar que a festa de São João é uma festa sagrada para o povo finlandês. 

O São João é festejado no sábado mais próximo do período de 20 a 26 de Junho. A história desta festa remonta à época pagã. Muitas das tradições desta festa têm a sua origem nas festividades da luz e da fertilidade da época pré-cristã e europeia, que se destinavam a homenagear o início do Verão, no dia 21 de Junho, que é ao mesmo tempo o dia mais longo do ano. Do São João fazem parte também diversos tipos de crenças e magias, que se destinavam a assegurar a colheita e o leite para o ano seguinte e para dar sorte no casamento. A sauna, os casamentos e os bailes de São João ainda continuam a fazer parte das festividades do São João finlandês. 

Acender fogueiras tem a sua origem na tradição da Europa Central, para a celebração das festas de Primavera. Na Finlândia, as fogueiras de São João foram introduzidas inicialmente no Leste do país de onde se espalharam pelo resto do país ao longo do século XX. A queima das fogueiras está ligada à crença da fertilidade e da expulsão dos espíritos maléficos. Na região autónoma de Åland e nas regiões sueco-falantes do litoral, as fogueiras são substituídas pelas hastes de São João, que são decoradas com folhas e flores. A haste faz parte de uma antiga tradição nórdica ligada à fertilidade. É igualmente possível que os comerciantes da liga Hanseática tenham trazido a tradição das hastes para a Escandinávia, o que provavelmente vem comprovar que esta prática tenha tido as suas origens nas hastes do Primeiro de Maio da Europa Continental.

Dia da bandeira nacional da Finlândia 

Bandeira nacional da Finlandia"Azul e branco são as cores dos finlandeses: o branco por causa da neve do Inverno e o azul por causa dos nossos lagos azuis" (Topelius, poeta nacional)

No São João festeja-se não só a luz, o Verão e o sol da meia-noite, mas também a bandeira nacional da Finlândia. Segundo as regras gerais, as bandeiras nacionais são hasteadas na noite de São João, às 18 horas e retiradas no dia seguinte, dia de São João às 21 horas. 

As origens da bandeira nacional remontam aos meados do século XIX. Inicialmente a bandeira foi concebida para facilitar o reconhecimento dos barcos de comércio finlandeses, dado que muitas vezes, os barcos do Grão-Ducado eram atacados pelos inimigos da Rússia. Em 1863 foi feita a sugestão às Cortes, no sentido de criar uma bandeira oficial para o Grão-Ducado, mas teve que ser abandonada dado que a sua apresentação às Cortes não autorizada. A ideia de uma bandeira nacional permaneceu na mente dos finlandeses e ganhou importância uma vez mais, aquando da revolução de 1917. A ideia de uma bandeira própria, sobretudo para as necessidades de navegação comercial, deu lugar a uma nova iniciativa. Na base desta iniciativa foi nomeada uma comitiva da bandeira, cujas sugestões nunca foram aprovadas na Assembleia da República, devido à discussão sobre as cores da bandeira. 

Durante a guerra civil foi adoptada, como bandeira provisória, uma das sugestões do comité; a bandeira com um leão como símbolo. Em termos de cores, concorreram ainda nesta fase as sugestões de azul e branco contra o amarelo e vermelho. Uma vez terminada a guerra civil, a maioria da Assembleia da República apoiou a solução do azul e branco, e ficou acordado que a base da bandeira seria formada por uma cruz. 

A iniciativa da bandeira com uma cruz azul num fundo branco foi oficialmente apresentada, à Assembleia da República na Primavera de 1918, e só depois de diversas fases é que foi aprovada por recomendação da Comissão Constitucional, em 27 de Maio 1918.

Imprima esta página

actualizados 10-08-2009


© Embaixada da Finlândia, Lisboa | Informações sobre o serviço on-line | Contacto